10.04.2009

sunshine




she loves you, yeah yeah yeah.







- ele a amava. ele a chamava de meu pinguim. ele gostava de brincar com o cabelo dela. ele sorria quando ela sorria e acordava primeiro só pra ve-la dormir. ele a amava de um tanto que seu amor caberia em dois corações. ele prometia ama-la até 2.798. eles sorriam juntos quando ele dizia isso. ela também o amava. amava os cabelos cacheados dele. amava suas tatuagens e suas camisetas do led zeppelin e do jim morrison. amava o jeito que ele sorria inclinando a cabeça pra trás. amava ficar olhando ele tocar violão. ele amava tocar violão pra ela. ela amava a coleção de discos de rock dele, que ficavam desorganizadamente espalhados pelo quarto. ele amava o cheiro de canela do cabelo dela. e ela amava quando ele a acordava cantando give me love bem baixinho no ouvido dela. e por causa daquela música do raul seixas eles tinham um chaveiro escrito love. ele amava quando ela dizia que se ele a traísse ela quebraria a vitrola dele e toda a coleção do pink floyd. ele amava os chiliques dela. e ela amava os chiliques dele. ele amava até as unhas dela com esmalte vermelho descascando. ela tentava esconder, mas ele segurava as mãos dela e beijava dedo por dedo. ela amava isso. eles amavam muitas coisas um do outro. e amavam as mesmas coisas. amavam chico buarque. amavam a janis joplin. amavam café. amavam se embebedar juntos. e amavam fazer bolinhas de fumaça com o cigarro na varanda do quarto. amavam dormir até tarde. amavam acordar juntos. e até na ressaca eles sorriam e se amavam. ele se amavam sem escovar os dentes. ele se amavam excessivamente. acho que eles se amaram desde o primeiro beijo. eles venderam a alma por esse romance shakesperiano do séc.21. e se amaram assim por meses a fio. ele a chamava de sunshine e oferecia músicas pra ela. todas eram pra ela...

- Seu tipo de amor é que eu adoro
Meu tipo de falso céu com a porta para o inferno
E eu consegui mais do que eu precisava
Porque eu preciso do meu Raio de sol
Esse tipo de pessoa ninguém conhece...
Meu raio de sol - Aerosmith - Sunshine.

eles prometiam que se o amor acabasse eles não se odiariam. no fundo eles achavam que o amor nunca ia acabar. mas a música acabou. a ternura se perdeu. o que era amor deu espaço para o silêncio. ela não amava mais o silêncio compartilhado entre eles. ela não amava mais a doçura da voz dele. nem amava mais o calor do abraço dele. ela não amava mais ouvir chico com ele. mas ele ainda amava o barulho da risada dela. e ainda amava vê-la acordar. os beijos dela não amavam mais os beijos dele. ela se perdeu. não sabia dizer como e nem quando e nem porquê. ela foi sincera. e assim, com a sinceridade de quem desama simplesmente, ela fez do coração dele mil pedaços. ele engoliu lágrimas amargas. ela chorou por não amar mais aquele garoto que amava os beatles e cantava something só pra faze-la feliz. ela chorou por amargar o coração de quem não merecia. ele quis jogar o próprio coração fora. quis matar o amor da sua vida. ele desejou nunca mais ser clichê. ele desejou nunca mais amar tão vulgarmente. ele desejou nunca mais se entregar. ele chorou de dor por amar demais. culpou seu coração chavão. e ao som de maybe, música da janis que ela mais amava, ele escreveu uma carta com linhas mal traçadas dizendo:

"sunshine, li no teu olhar a vida que eu sonhava. me apaixonei entusiasmadamente. amei todos os seus porquês, e seus "quês". com você tudo era tão simples. você transfomou meu caos em paz. e eu de tanto ser grato por isso, te amei todos os dias como se fosse o último. e agora que o último chegou, eu não sei como respirar. me falta ar, me falta ar. me sinto rasgado por dentro. eu precisava de ti pra sorrir, mas não preciso de ti pra viver. sunshine. você não entra mais pela minha janela. mas por muito tempo, continuará sendo meu sol. fica com a camiseta do led. ela sempre foi mais sua que minha. "


ela leu e chorou uma noite inteira tal qual uma madalena arrependida. perdeu um amor. talvez o maior de todos que ela pudesse ter. chorou muito. ela deixou de ser um raio de sol.
e mandou de volta um bilhete que dizia:

- me perdoa por não saber mais como ser sua.


ele nunca respondeu. e depois de anos ele ainda escuta chico e pensa no cheiro de canela do cabelo dela. e ela às vezes , vestida na camiseta do Led, faz bolinhas de fumaça com o cigarro, e lembra dos tempos áureos, em que o amor de verdade, se fez presente.
e ela deixou escapar assim...displicentemente.








Please, please, please, please,
Oh, won't you reconsider, babe,
Now come on, I said come back,
Won't you come back to me!

Maybe.


26 comentários:

  1. É ruim desaprender a ser de alguém, mas é pior ainda quando a gente desaprende a sermos de nós mesmos. Beijo! =)

    ResponderExcluir
  2. Double fantasy!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    uma das capas mais sinceras do rock.
    enfim, deixaram de rir um do outro... ou não!

    adoro os seus textos!

    (in the way... she moves...)

    ResponderExcluir
  3. Ai q lindo!!! Lindo msm! Valeu apena parar para ler suas linhas! Parabéns o texto tah maravilhoso e as referências então... Adoro sunshine! Convenhamos q ela deixou escapar mt coisa, mas qnd ñ se sente mais o jeito é encarar! Abçs, gostei mt!

    ResponderExcluir
  4. E você me fez emocionar. (silêncio)

    ResponderExcluir
  5. Rock...nessa epoca deve ter feito sucesso ne...

    ResponderExcluir
  6. Gente...
    Que isto!!

    Mulher.. vc quase me fez chorar com esta história...

    Que texto mais que lindo.. mais que perfeito.. mais que puro...

    Estou encantanda com todas as palavras....

    Lindo mesmo!!
    Lindo.. Lindo.. Lindo!!!

    Bjos e boa semana!

    ResponderExcluir
  7. Nossa, quase chorei! Texto liindo, aliás todos!
    Parabéns.
    beijo

    ResponderExcluir
  8. de umedecer os olhos
    Lindo!!!
    Palmas!!!

    não tive como não me identificar, passei por isso tb. mas eu era ele...
    se quiser, leia depois o outro lado da história, procure por um post no meu blog chamado 'Separação'

    hj em dia acho q ela confundiu a insatisfação inerente a vida com desamor... é a tal da maturidade sempre chegando atrasada...

    ah... to ficando viciado em dançar com vc
    bjs

    ResponderExcluir
  9. passei a começar a te ler, e estou impressionado como as palavras fluem da sua boca. bjs

    ResponderExcluir
  10. Sem palavras para descrever o que senti ao ler esse texto! Simplesmente maravilhoso!!!

    Beijos para ti!!

    ResponderExcluir
  11. um pena, mas a vida é assim, cheia de ciclos...
    bjs

    ResponderExcluir
  12. e qual é a graça de amar se não for pra se entregar intensamente? se entregar nas menores coisas. tudo bem, quem vai fundo demais, também sofre demais, mas ama demais. e é só isso que a gente quer, não é? amar e ser amada!

    brigada pelas palavras carinhosas e pela visita. volte sempre!

    beijos!

    ResponderExcluir
  13. Caramba...Mexeu comigo,e mexer comigo não é fácil...

    ResponderExcluir
  14. Twittei esse texto e mandei por email (com os devidos créditos).Muito lindo.

    ResponderExcluir
  15. Nossa Senhora, que sorte a minha de você ter passado pelo meu blog.

    Que postagem é essa?

    Você falou de tudo o que eu gosto, desde a foto do Double Fantasy, passando pelas músicas e bandas e cantores.

    E com relação a história eu simplesmente me emocionei, não estou exagerando, me emocionei pq tb toco e amo tudo isso e fiquei me imaginando perder um amor como esses. Muito linda a postagem. Amei de verdade.

    Parabéns e espero que apareça sempre pelo meu blog.

    Daniel

    ResponderExcluir
  16. Uau! Sensacional. Belíssimo texto de lirismo, música e amor. Parabéns. Demais.

    ResponderExcluir
  17. querida luna............amei bigaaaaa!!
    nossa realmente foi lá no âmago do meu ser!beijoaidentu!ta/

    ResponderExcluir
  18. So uma Palavra Flor...
    PERFEITO!!!
    simplesmente perfeito....

    ResponderExcluir
  19. Tu sabe que chorei bem aaqui ne?
    Num sabe?
    Lindo...tudo lindo!
    bjos

    ResponderExcluir
  20. [Sim, espero dançar a altura das palavras escritas...].

    Primeira visita ao seu blog (direto do Chicuta)...e eis que me deparo com uma estréia assim...com palavras, amor e dor...tão fortes, inesquecíveis e marcantes!!!

    Belo texto...

    Sem mais delongas!!!

    (Me concede outras visitas?)

    Bjomeclica!

    ResponderExcluir
  21. M A R A V I L H O S O !!!
    "Boqueaberta" inté agOra..
    Nossa..
    Chegou a doer, ao Ler..
    Desprender-se de uma amor.. ou de laguém é sem pre F@#$%
    E quando o mesmo acaba pra um e não amboOs.
    Pior.
    E qdo pra quem acaba,não keria q assim o fosee. aii.. Me vejo .. me vii. e adoreii baiilar com vc..
    Vou voltar.. sempre... e Obriigada pela viisita
    beiijos'

    ResponderExcluir
  22. Mesmo quando acaba, nem sempre acaba!
    tenho ansia e medo de viver tudo isso.

    emoção total!

    bjux

    ResponderExcluir
  23. Noss que maravilha de texto.Impossível ñ emocionar.
    Não sabia que tinha outro blog.
    Tô encantada com tudo aqui ...

    ResponderExcluir
  24. Blog lindo

    Postagem perfeita, adorei muitoooo o texto, nossa fui longe, me achei, me emocionei, pensei, tantas coisas

    adorei
    parabens
    vou te seguir

    beijos

    ResponderExcluir
  25. Sabe aquela frase ''Lindo de doer?'' Teu texto, mulher. Lindo, lindo, liiiindo de doer. Doeu tanto que chorei. Meudeus, senti junto com ela e ele o começo o meio e o fim inesperado (desesperado!). AmEI!

    :)

    BEIJOS.

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons