10.19.2009

destino insólito






dancing with myself.







Lá pelas cinco da tarde de domingo - horário que normalmente eles gostavam de deitar na rede da varanda ou costumavam ir ao cinema - ela se sentiu sufocada numa saudade que doía como leve picadas de agulha pelo seu corpo inteiro. ela se sentia trêmula salivando os beijos dele e mordia os lábios pra não chorar. ela nunca imaginou que dessa vez a saudade fosse causar tantos estragos. a verdade é que ela não aguentava mais a conciência de sua fraqueza diante desse amor. deitada encolhida no sofá da sala, ela pensava a cada agulhada de dor: 'será que morrer de amor é apenas uma licença poética?'

e buscando qualquer forma de cessar essa dor ela resolveu colocar um disco que não lembrasse ele, então quem sabe a dor diminuísse. ela colocou um disco que ganhou de seus pais. - Os Doces Bárbaros - e com um gosto salgado de lágrimas na boca, ela fechou os olhos e dançou. e assim sua tristeza transbordou em música até a noite chegar.
dançar era algo que a deixava feliz.

ela preferia dançar, pois era orgulhosa demais pra telefonar e dizer pra ele que se arrependeu. o que ela não sabia é que ele também estava no limite insuportável da dor. durante todos aqueles dias sem ela ele só sentia na boca o gosto de cerveja, cigarro e café. e ele não permitia a si mesmo mais um amanhã sem sua menina dos olhos. então tirou de si o orgulho, respirou fundo, e abraçado pela saudade foi atrás dela. ele ainda tinha as chaves do apartamento, e quando chegou sentiu um frio no estômago, um medo incompreensível de ser enxotado porta a fora por ela. quando abriu lentamente a porta, e a viu girando e cantando como se estivesse feliz em estar sem o abrigo dos braços dele, ele quis chorar de raiva por ter acreditado que eles aindam podiam ser dois, só que antes que ele fosse embora ela sentiu a brisa entrando pela porta, e foi quando ela percebeu uma presença e intorrompeu a dança, e como era de se esperar, quando eles se viram seus olhares se fitaram e mal puderam se conter. choraram por fora, e sorriram por dentro. eles tinham um imã inserido no coração, e ainda sem sair do lugar ambos pensaram no quanto se subestimaram achando que podiam viver longe um do outro.

eles se aproximaram e sem dizer nada, se abraçaram numa tentativa de não se desatrelarem nunca mais. eles se tocaram numa harmonia perfeita e se beijaram com uma força como se disessem: 'não vamos mais desistir'. o tesão efervecia a cada beijo e com a pressa de quem ama, num movimento louco de mãos e pernas, se jogaram no chão da sala. seus corpos suavam entre beijos sem respiração. ele tirou o vestido dela como se fosse uma criança desembrulhando um presente, e beijou-a centimetro por centimetro. beijou os sinais espalhados estratetagicamente pelo corpo dela, beijou vértebra por vetébra, pernas, barriga, até chegar nos seios, que ele adorava porque cabiam perfeitamente em suas mãos. à medida que ele a beijava ela respondia com vibrações em cada polegada de sua pele. ela inteira ressoava por dentro e se contorcia por fora de tesão por ele. ele respirava tão ofegante e seu coração batia tão acelerado que se ela tomasse seu pulso ela sentiria o sangue circulando nas veias. eles sucumbiram as todas as perversões dos amantes, e fizeram amor nunca tinham feito antes. eles renasceram ali com uma intensidade e felicidade que nem eles conheciam e se lançaram novamente na loucura de um amor descomedido.


então ele, depois do gozo, beijou cada pálpebra dos olhos dela e disse:- 'eu sempre vou te amar'. ela indagou ainda com os olhos fechados "dessa vez é pra sempre?" e ele respondeu com um sorriso amável "nunca deixou de ser" e se acomodaram um nos braços do outro.

E com um sorriso de rendição no rosto, depois de um beijo breve e carinhoso, se abraçaram forte e logo em seguida dormiram com aquela sensação gostosa de ter encontrado o caminho de volta pra casa.



'Cause you are by far my favourite and I've been thinking it's about time that you knew . That you are by far my favourite and I hope that I'm by far your favourite too.'
-
Sophie Madeleine


32 comentários:

  1. "nunca deixou de ser" Lindo de mais Luna.!

    Eu disse que o pessoal ia chorar.! Você é uma grande escritora Luna.

    Beijoooos Ju

    ResponderExcluir
  2. essa partezinha aqui me deu uma sensação de entendimento "salivando os beijos dele".

    ResponderExcluir
  3. Caralho!

    Luna, não imagina o quanto gosto de ler você.
    Sinto um vento frio dentro de mim quando passo os olhos nas frases que escreve, nos parágrafos..
    Me faz imaginar. Vi o casal, vi ela dançando, vi eles transando.

    você é perfeita. ;)

    ResponderExcluir
  4. Amo teus textos, sempre me transmitem algo bom e uma saudadezinha no fundo do peito. Maravilhoso.

    ResponderExcluir
  5. Já vivi isso de sentir dor com alguém e ao mesmo amar demais. E tanto era verdade esse amor que eu vivi que comigo aconteceu igual ao escrito da sua postagem.

    São experiências marcantes.

    Esse sentimento de perda e de amor é intenso.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Senti novamente uma saudade imensa, enquanto lia o teu texto, Luna.

    Um beijo.

    ps: aquela frase "nunca deixou de ser" também me é muito familiar... :)

    ResponderExcluir
  7. Que lindo este post, e este casal da foto então ???
    Lindos !!!
    Eu fiz um post sobre uma música do titãs que fala um pouco sobre este lindo texto !!!
    Eu sei que é prá sempre , enquanto durar...
    bjussssss

    ResponderExcluir
  8. 'eu sei que é pra sempre, enquanto durar, eu quero somente o que eu puder dar'

    ResponderExcluir
  9. Lindo, simplesmente profundo e intenso.
    vo linka vc no meu blog

    ResponderExcluir
  10. Luna querida...

    Desta vez vc se superou!!!
    Amei cada palavra... cada verso.. cada frase.. cada linha...

    Demais...
    Eu quero que seja assim comigo tb.. pq tem horas que eu penso exatamente isto "'será que morrer de amor é apenas uma licença poética?'"

    Mas a esperança que há em meu coração não me deixa morrer...

    Obrigada pelo texto que tanto me encantou.. amei este final feliz!!! Obrigada mesmo...

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  11. Danço sim, claro...rs
    Pra começar um segredo, as metades por aqui também ja foram amor uma e a outra, atualmente uma delas ainda é, a outra é medo.

    Ja tive vontade de voltar a um certo lugar... e pegar uma pessoa pelo braço, não precisaria nada mais que isso, apenas que ir, só que não fui, e fui presenteado por esse sentimento novo que tu pode ler. Algumas coisas as vezes acontecem por ter que ser assim, e no meu caso, uma nova sensação me tomou, saudade é bom, mas num deixa te ferir mto não, saudade só é boa pra gente acabar com ela...rs

    E eu duvido que vc num tenha chorado lá...rs

    um beijo!

    ResponderExcluir
  12. com lagrimas... Lindo, Otimo texto, muita coisa nessa saudade...

    Grande Abraço! moça que Dança!

    ResponderExcluir
  13. mara//
    mery/
    .samba
    .pagode
    flora//

    Já disse que você escreve maravilhosamente bem, né maiiiii lovi?!

    Bj

    ResponderExcluir
  14. Ai meu deus.
    Todo dia fico ansiosa, na espera de um novo texto teu. Esse não foi diferente: lindo!

    Sempre mexe muito aqui dentro. Até aparecem algumas lágrimas.
    Muito lindo mesmo, adoro tua escrita.

    Beijão, moça! ^^

    ResponderExcluir
  15. morrer de amor, uma licença poética foi a coisa mais foda que li nos últimos dias de minha vida!
    e como dizia os doces bárbaros: se sou incompreensível, meu deus é mais

    muito bom!

    ResponderExcluir
  16. Muito lindo Flor!!!
    de arrepiar...

    Bjooooooo

    ResponderExcluir
  17. Simplesmente incrivel.Emocionante a cada linha,com uma ousadia que não perde a graça em nenhum instante.


    "nunca deixou de ser..."

    www.quasemefui.blogspot.com

    ResponderExcluir
  18. Me deu até vontade de namorar......

    ResponderExcluir
  19. Nem chega perto.....
    oras... Luna, vc tem uma Sra sensibilidade pra escrever as coisas, fica tudo bão gostoso de se ler!!!

    ResponderExcluir
  20. Pedindo desculpas por minha ausencia... Comentarei sobre os posts que ainda nao havia lido.

    Sobre: Easy like a sunday morning

    Eu não sei como isso funciona, mas eu me identifico com cada texto seu. Meu Deus como pode?
    Tirando o fato de que eu não bebo e nem fumo, eu poderia dizer que vc acabou de contar uma parte de mim.
    Ficar tirando a poeira dos discos é uma coisa facinante. Rever antigas cartas, e mesmo as cartas que não mandei. Reviver minhas lembranças me dão um certo ânimo, as vezes algumas tristezas, mas consigo ir sobrevivendo com a senhora Esperança.
    Vc é fantastica!

    Sobre: Solitude.

    Como diria a Tiê 'Como dois estranhos, cada um na sua estrada...'

    Eu não posso dizer muito sobre isso. E estaria mentindo se dissesse que não me emocionei e que não me identifiquei.
    Minha saudade passou da fase em que era só um esmalte velho, ela está impregnada em mim e nada do que eu faça vai mudá-la.
    Acho que ela gosta da minha companhia.

    Foi um lindo texto, mesmo sendo trite.

    Sobre: Destino insólito

    Meu DEEEEEEEEEEEEEEEEUS. Me emocionei. Que coisa mais linda. Isso prende a gente.
    Eu lendo aqui e com o msn ligado, varias pessoas chamando e eu só tinha vontade de dizer 'PAREM DE ME INTERROMPER!'

    Ainda usando as frases de Tiê... 'E mesmo assim queria te contar que eu tenho aqui comigo alguma coisa pra te dar, tem espaço de sobra no meu coração. Eu vou levar sua bagagem e o que mais estiver à mão.'

    Eu saio desse blog com o coração na boca e com as lagrimas na roupa. É muita emoção pra uma pessoa só!

    auuahsuahsauhsuhashuaih


    Muito obrigada por aparecer no meu apertado espaço. asihaushiauhsa
    Ainda é pequenininho, mas sempre há espaço para uma dança.

    Acho que me identifico tanto com esse lugar pq é aqui eu sou bem vinda para uma dança.

    Me escondo em muitas coisas, inclusive nessa coisa sobre 'dançar' eu não sei dançar, nunca soube.
    Sou uma bailarina dos pés tortos, mas movimento meu corpo pra tentar libertar minhas dores e felicitar meus pensamentos.


    É sempre um prazer te receber no meu blog!


    =*

    ResponderExcluir
  21. Nossa! Foi copiar pra um amigo.
    ahsuihaushauhsahushaaui

    Agora eu fiquei com vergonha, nem sei se tô parecendo uma daquelas loucas que saem falando falando falando... ausihausas Mas se eu tiver assustado, desculpa. aushauhsiauhsa

    Acho que me limitarei nas minhas emoções expostas. auishauhsuahsas

    Eu tenho essa de sentir e falar logo... Bem coisa minha.. aushiasuhaushas

    Mas fico feliz que tenha se emocionado.

    Beijos.

    P.S: Tiê é ótima!

    ResponderExcluir
  22. Isso aqui dar vazão aos meus sonhos, e me mostra o quanto doce pode ser a vida.

    linda!

    =)

    ResponderExcluir
  23. Nem preciso dizer que mais uma vez me fez chorar...
    É muita emoção para um dia q está apenas começando..
    ;)
    Beijos!!!!!!

    ResponderExcluir
  24. Não há pior coisa do que sofrer de desamor.
    Lembranças.
    Tiros ao nada.
    Reverências aos deuses que nunca dão as caras.
    Cartas que faltam no baralho...

    Um belo texto, moça!
    Obrigado pelos comentários!
    Um beijo!

    ResponderExcluir
  25. Eu e minha amargura passageira dizemos que não acreditamos mais em sempres.

    ResponderExcluir
  26. Sempre é bom voltar ´ra casa, dançando melhor ainda!

    ResponderExcluir
  27. Quero ver ele voltando.. me dizendo que é e sempre foi pra sempre!

    O que você escreve me emociona,muito.

    Beijosssssss

    ResponderExcluir
  28. "Meu DEEEEEEEEEEEEEEEEUS. Me emocionei. Que coisa mais linda. Isso prende a gente." [2]
    Devo lhe dizer que as tuas palavras soaram como cantigas apaixonadas nos meus ouvidos, ora tristes e outrora emocionantes. Como consegue fazer essa magia ein? Deveras me encantei de uma forma tão intensa, mesclou aperto no coração e olhos brilhantes, prestes à irromper em lágrimas... Lindo!
    Hahaha, tenho já/só 16 primaveras e o tempo passa tão rápido... Nossa, obrigada pelo o que disseste! Como faz para ter um blog lindo? Me respondas também, pois o seu é incrível! *-*

    Amei, bjs!

    ResponderExcluir
  29. Ótimoo texto - 'será que morrer de amor é apenas uma licença poética?' | o que foi isso ? Liindo *.*
    Obrigadaa pela visita e volte sempre ;)
    Adorei seu blog =*

    ResponderExcluir
  30. Orgulho.
    Quantas vezes deixei de dizer uma coisa por orgulho, quantas vezes deixei de amar por orgulho.
    Ai ai ... =T

    ResponderExcluir
  31. Clap! Clap! Clap!
    Sensacional. Estou arrepiada e emocionada!
    Parabéns pelo texto, por cada detalhe, pela sensibilidade. Embarquei nele com você...
    Muito bom mesmo!
    Beijos

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons