10.30.2009

amor de rugas e chicobuarquices

-


outro dia, numa festa na casa de um amigo, tive a felicidade de conhecer um 'jovem casal' . ele tinha 81 anos, ela 79. os observando revi minhas convicções acerca do amor. melhor dizendo, amor na terceira idade. eles me disseram que já haviam pagado seus tributos, criaram filhos 11 filhos, e 20 e poucos netos. e agora eles estavam se presenteando com a vida - sim, com a vida. contaram histórias felizes e tristes, e citaram chico buarque várias vezes na conversa, o que me deixou deveras encantada. enquanto eles falavam, eu ficava lá, parada, ouvindo, e imaginando como será amar alguém por mais de cinquenta anos. cinquenta anos de compreensão, dedicação, sensatez. pensei em quantas vezes em todas essas décadas, eles não tiveram vontade de um deixar o outro. talvez não, talvez sim. o que sei é que eles não tinham vergonha dos nossos olhares tolos e imaturos. eles se abraçavam e se beijavam como adolescentes, ou melhor, envelhecentes, ah, era muito lindo de ser ver. eles é que sorriam de nós, por ver no que transformamos o amor - em algo banal, que nasce, cresce e morre, mesmo antes de amadurecer. nós cometemos o crime de barganhar os nossos próprios sentimentos. vendemos nossa alma ao diabo por um pouco de satisfação ao ego, e curamos nossas almas desesperadas por amor, com sexo, e envolvimentos baratos. é triste.


e depois de longas horas de sabedoria compartilhada, eles me deram um conselho:
'primeiro as pedras grandes, depois as pequenas'
e pra bom entendedor, meias palavras bastam.




e num rompante pueril, levantaram, e foram dançar ao som de Carlos Gardel, com o charme, que só os mais antigos tem. e eu? eu fiquei sonhando acordada com meu amor de rugas.





-

17 comentários:

  1. Será um prazer ...


    Do Caetano ao Chico Buarque de Hollanda. Essa música “Eu te amo” marcou certo momento da minha história e foi bom ouvi-la novamente, foi bom ler o texto cadenciado que me fez bailar nessa valsinha... Sempre pensei muito no que estamos fazendo com o “amor”, e sei que essa forma genérica não tem nada haver com o verdadeiro sentido estampado por esses maravilhosos “envelhescentes”!

    Adorei o que vi por aqui e espero visitas, tanto pelo titulo do Blog (O Caetano é divino), como por quem assina (Moreira) = mais um entre tantos que sonham em viver de arte nesse país!


    Beijos e Boa noite,
    Moreira.

    ResponderExcluir
  2. Fui viajando atento a cada história desse casal. pude imaginar cada uma. fiquei com uma imensa vontade de levantar e dançar, também.
    E essa música de Chico? Eu sou apaixonado por outras tantas, mas essa é aquela que sempre resgata uma dorzinha de amor. Por que eu tenho certeza que não é qualquer um que escreveria uma poesia tão intensa. o encontro dele com Tom foi planejado pelos deuses.

    um beijo, e muitas danças, sempre

    ResponderExcluir
  3. e sobre a menina, é minha amiga sim, mas o texto não é pra ela. é que aquela foto caiu muito bem.

    ResponderExcluir
  4. Que depoimento mais lindo, Luna!
    Gosto muito de conversar com quem tem bem mais idade que eu, gosto dos que já perderam o frescor da juventude, dos que já viveram muita coisa nessa vida e estão anos a minha frente.
    Eles sempre tem algo a dizer, as vezes nós é que não sabemos ouvir.
    Acredito que o casal já tenha tido muitas brigas, quase se separaram pra sempre, mas permaneceram juntos até o fim.
    Deve ser uma bonita história de vida, de amor..

    Amei as palavras, e fiquei feliz por vocÊ ter dado ouvidos a eles. Muitos nem chegam perto pra evitar "conversa chata".

    - Chico que eu amo tanto!

    Beijos, flor.
    (menina, a minha postagem ficou muito grande mesmo, muita gente quando viu o tamanho desistiu de ler) rs

    ResponderExcluir
  5. Que bonito!

    Acho tão legal ficar imaginando um "amor de rugas" e ver que isso pode acontecer e dá certo. São histórias assim que fazem a gente crer mais e mais.

    Chico Buarque *__*
    Essa música, "eu te amo" é ótima. Incrível, na verdade.

    Beijo, Lu!

    ResponderExcluir
  6. E quando nos deparamos com histórias assim, nos faz manter a certeza que amor verdadeiro realmente existe. E nos faz manter a esperança de, quem sabe, morremos só depois de amarmos - sutil e loucamente!

    Sou completamente apaixonada por Chico, e essa música é uma das que mais toca por aqui.
    Ótima semana pra ti.
    Beijos, de LUZ.

    ps.: 'Você' fez meu coração acelerar agora; essa música (Look At Me - Lenon) me faz lembrar de um certo alguém, um certo alguém muito especial pra mim. :x

    ResponderExcluir
  7. Aquele cheirinho de Amor eterno no ar, vale apena lutar para sentir...

    Grande Abraço! Moça que Dança!

    ResponderExcluir
  8. Que lindo!
    Tem razão Luna, hoje já banalizamos o amor.
    Difícil ver um casal juntos a tanto tempo...
    Essa música do Chico, é perfeita.


    =*

    ResponderExcluir
  9. Fantástico, não?
    O tipo de coisa em que vale a pena se pensar. E logo eu, que tantos exemplos tenho à minha volta do que cresceu e do que estagnou, ainda me surpreendo com toda essa maravilha.
    Valeu meu dia esse texto!


    abraços

    ResponderExcluir
  10. algum dia... eu prometo te devolver todos sorrisos que vc me causa.

    com os meus olhos.

    promessa feita.

    ResponderExcluir
  11. que lindo, hein!? fiquei encantado com a hisória desses dois, há mesmo muito o que refletir e aprender com eles.

    ResponderExcluir
  12. não sei se terei meu amor de rugas, e se tiver não vou completar 50 anos amando, perdi essa chance... [a não ser q eu passe do 100]
    mas ó, a culpa é toda nossa...
    bjs

    ResponderExcluir
  13. Hum...

    Muito fofo este post...

    Eu tb fico boba qdo vejo um casal de velhinhos fazendo coisas juntos.. de mãos dadas ainda... quase morro de paixão.. por eles e pelo amor deles...

    Será que um dia teremos tanta felicidade assim a ponto de envelhecermos com aquele que dizemos ser o amor de nossas vidas??

    TOMARA!!!

    Bjos querida...

    ResponderExcluir
  14. Sempre bom confirmar que isso existe. E se tem amor, moça, tem Chico pelo meio. ^^

    Meu beijo

    ResponderExcluir
  15. Lindimais, né?!

    Eu já não procuro um amor assim, embora eu ame a sapiência dos velhos, acredito q as gerações de hj já não se propõem a seguir em frente c essas belas histórias de compreensão.

    ResponderExcluir
  16. incrivel como quem ama ñ se cança! acho um charme tbm esses casaisinhos rsrs! abçs!

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons