10.13.2009

quando perdi minha fé

Queira!
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo.
Raul Seixas. Tente Outra Vez.














decididamente sou uma maldita revolucionária de sofá, até queria mudar o mudar meu mundo, mas não devo estar fazendo nada pra que qualquer coisa mude de lugar, de direção. será que gosto mesmo de ser assim? será que manter a cabeça erguida depois de tantas quedas é mesmo sinal de coragem? hoje sinto que a minha fé está perdendo o sentido. toda essa fé em ser feliz - digo ser feliz de dois, ser par, deixar de ser um - toda essa fé que dias melhores virão. acho que talvez uma vez na vida, eu deva tentar ser melancolicamente solitária, um pouco ruim, e com menos escrúpulos. talvez eu deva tentar achar graça do som das pessoas indo embora. usar minha ironia ao meu favor. de que me adiantou até hoje não ter medo das hostilidades desse mundo cão? nada. a vida sempre me mostrou o meu lugar. ela gritava no meu ouvido enquanto eu chorava por mais um amor-amizade que não deu certo: tá vendo sua abelhuda, isso é pra você aprender a ver um abismo e não se jogar. eu bem que mereço. que pessoa em plena posse de suas faculdades mentais se arriscaria de novo? qual o sentido dessa fé inabalável? porque? pra que? será que não percebi ainda que eu sou a personificação da ley de murphy? - eu nem exigo mais tanto da vida. mas mesmo assim, ela cismou que eu só mereço tapa na cara - [meu caos interno grita agora] - fuck. fuck. fuck. eu não suporto mais que pisem no meu coração com coturnos de arame. eu não mereço mais chorar em demasia. minha maldita fé nunca me levou a caminhos ladrilhados com pedrinhas de brilhante. me sinto esgotada e sufocada. e me incomoda pensar que a culpa das coisas inevitavelmente não darem certo, é exclusivamente minha. sinto hoje que perdi minha fé. e minha fé é que move o meu mundo. sem ela, sinto vontade de me prender dentro de mim mesma, pra tentar aprender a andar em passos mais curtos. quem sabe aprender a ser cínica, e deixar de achar que oposto, o díficil, o estranho e o arriscado, é charmoso e interessante. as consequências de ter fé demais são amores mal resolvidos, promessas quebradas, leite derramado, caos, e fraturas expostas.


todos os dias da minha vida mergulhei na cama, e dormi com minha fé nas pessoas. mas hoje minha única vontade é apenas maldizer essa maldita fé. acho que enloucresci. de que adiantou mudar quando era lua cheia? de que adiantou molhar as mãos de tintas coloridas e sujar paredes cinzas e sérias? de que adiantou estampar um sorriso no meio da cara pra quem não merece? de que adiantou tanta honestidade se pra mim eram só meias-verdades? tudo por uma maldita fé que por muito tempo moveu meu fudido mundo. cansei das mentiras sinceras, elas não me interessam mais. peço desculpas a mim mesma. por deixar de acreditar que a sorte virá. por não querer mais ser uma canção de chico. por querer ser ruim e inescrupulosa como nunca fui. perdi minha fé. sem fé, eu não sou a mesma. sem fé, talvez eu seja uma farsa. mas pelo menos, não serei eu sozinha. quem sabe assim, serei par, serei dois. nunca se sabe. só sei que estou cansada de me anunciar, de me costurar igual boneca de pano. esgotada. cansada de esperar por esse gosto de menta e pipoca que dá quando a gente ama. perdi minha fé e hoje abortei minhas convicções acerca do amor. definitivamente a sorte do amor tranquilo não é para todos. fui contaminada com o mal do século: o pessimismo. não quero mais ser Scarlett O'hara, agora quero ser Bette Davis. não quero piedade. já me basta a raiva que sinto de mim hoje. minha boca hoje só traga cigarros e dores. hoje vou maldizer a minha fé, e me embriagar de tristeza, quem sabe ela se transforme em beleza. e quem sabe, eu encontre de novo minha fé. por hoje...minha canção está perdida.



Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar



[isso seria TPM?]



15 comentários:

  1. Se tudo tá perdido (fé, música, canção, amor, paz, ódio), é sinal que ainda tem meio de se encontrar. Olha que coisa... a vida é muito louca!

    ResponderExcluir
  2. a tpm é um fator bem forte. e querer ser bette davis em vez de scarllet o'hara não me parece perdição. é aceitação, sim, concordo. um enloucrescimento. mas quem disse que é tão ruim assim?

    ResponderExcluir
  3. É minha amiga,bem vinda ao mundo das almas sebosas.Pega a senha ali na frente para o auto flagelo.

    ResponderExcluir
  4. "Amanhecer requer abandonar a noite que passou". Há sempre um novo dia, novas esperanças de que tudo vai melhorar...é só uma questão de tempo..
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  5. "sinto hoje que perdi minha fé" Esses ultimos dias estão sendo tão complexos para mim, tão bom, e ao mesmo tempo tão ruim. Que me sufoca.

    Acho que não é TPM, não para mim. :x ahah

    ResponderExcluir
  6. Sabe, Luna, eu te entendo perfeitamente mas, como há a possibilidade [e isto foi você mesma quem escreveu!] de ser obra de uma TPM, sinto em dizer que nós, mulheres [pelo menos as que se doam, como escreveu], somos presas fáceis de serem hipnotizadas por abismos que julgamos atraentes...

    Um beijo!

    ResponderExcluir
  7. Esses momentos não são maravilhosamente necessários? ^^'

    Ou sou só eu que gosta de momentos de fúria, tristeza, indignação, lágrimas, (...), por acharem que sem eles não existiriam todos os antônimos maravilhosos que tanto amamos? =)

    Ahh, gostei muito de vir aqui e ler sinceridade,
    Eu sempre gosto de ler sinceridade, *-*'

    Beijo carinhoso, :*

    ResponderExcluir
  8. é mas mesmo assim tem que continuar tendo fé neh?

    uma hora as coisas mudam!

    tu é bem sincera mesmo!]
    ]
    gosto daquie a foto do profile me lembra uma foto do album da Carla Bruni, não sei se conhece.


    beijo.

    ResponderExcluir
  9. Não sei se já disse, mais eu se já, vou repetir, seus textos são deliciosos de ler, como o doce do mel. ADOREI. Nao perca a fé, nao em tudo, tenha fé em Voce!! Abraço.

    ResponderExcluir
  10. tbm tô revolucionando por telepatia!!

    sabes, eu quero um emprego, mas aqui onde moro não tenho onde conseguir, só na cidade vizinha, mas tbm não faço nada, não corro atrás, humpf!! sacco.

    não é tpm não, viu, flor? relaxeeee.

    ResponderExcluir
  11. Olá, Luna!

    Muito feliz que tenha gostado, será sempre bem vinda...adoro sua sensibilidade, tem um jeito forte de escrever, sem ser grosseiro. Gostei!

    Acho que esta fé que se refere não é a que você perdeu em si mesma, mas nas pessoas...na falta de reconhecimento delas, de compromisso de apreço por coisas valiosas que demandam tempo para apreciação...As relações são mais voláteis que outrora, assim como você, muitos desacreditam e agem de acordo com o manual de "auto-protecionismo". Acho que busca profundidade, enquanto a maioria se contenta, apenas com as superfícies humanas...é mais fácil, aparentemente!

    No fundo esse é o seu jeito, e certamente isso não será capaz de mudá-la, mas quem sabe, moldá-la!

    Bjos!!!

    Linkada imediatamente!!!

    Inté!

    ResponderExcluir
  12. Quando a gente chega a 44 anos, como eu, a gente tem uma visão tão diferente e as emoções tão mais maleadas... não é justo eu me pronunciar além disso... que bom que os blogs serão arquivos de muitos anos para você olhar para trás, ler, e ver tudo de uma forma especial.

    Beijos, minha querida Luna.

    ResponderExcluir
  13. Luna, isso tudo que sente e escreveu é sinal de amadurecimento. Sinal de que, talvez, num futuro breve você tomará decisões na sua vida diferente de épocas passadas, e acredito que isso traga consequências boas pra sua vida.

    Levante o queixo, e siga!

    Beijo

    ResponderExcluir
  14. Que bom que você gostou, Luna! :)
    Ahh meu sonho é sentar na arquibancada do Cirque du Soleil e assistir aqueles shows *-*
    e você não é metida não kkk adorei seu blog :)
    Não sei se você estava exatamente de bem consigo quando escreveu esse texto mas me idetifiquei muito com uma de suas frases... "meu caos interno grita agora". Vou pôr o link do seu blog no mural de parceiros do pasteu seco :)

    E VIVA RAUL!

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons