8.31.2010

still I keep my love for you

 there's no place to hide. - ao som de bowie

voltei pra ti. depois de um longo tempo. sei lá. foi melhor assim. sumi, porque só fazia besteira na tua frente. ficava muda com cara de paisagem, quando deveria te falar: eu te amo, sem engano. e quando resolvia falar, falava mil absurdos um atrás do outro, tentando ser indiferente aos teus segredos e amores. às vezes eu fazia brincadeiras de mau gosto e ofendia tuas paixões, mesmo sabendo que isso te deixava mal, mas  entenda, eu era egoísta demais pra pensar em ti. a verdade é que eu sentia cãimbras no coração, antes, durante, e depois te encontrar e isso fodia com meu bom senso. eu sumi porque não existia futuro entre a gente. doeu na alma ter a certeza de que éramos melhores como amigos. não dava pra se omitir em mentiras, era fato: como amantes éramos um fracasso. meu sumiço foi covarde, fajuto, eu sei. com minha ausência corri o risco de parecer que não te queria mais na minha vida, mas não, eu só queria um tempo pra definir meus sentimentos. tu sabe o quão confusa e psicótica eu fico enquanto não tenho respostas, e só fico em paz, quando entendo meu lugar nas histórias.  entenda, eu sumi para depois poder voltar, e estar para sempre do teu lado, de novo, melhor que antes. eu sabia que a saudade e o tempo fariam muito mais por nós dois, do que um grude que só nos fazia mal. o que tínhamos era um amor desajeitado de gosto de agridoce e amargo, e às vezes até cruel. amávamos outros e desejávamos outros, e às vezes, em noites perdidas, curtíamos nossa solidão a dois. por isso, eu sumi. porque tive que escolher de uma vez por todas o que tu seria pra mim. meu amor, ou meu amigo. e nossa amizade sempre foi mais forte que qualquer sexo bom que tenhamos feito! tu sabe disso! e foi muito difícil aceitar essa verdade, por isso eu sumi. deixei com o tempo. e é claro que senti um medo assombroso de nos perdemos de vez, mas pra minha e tua alegria, foi quando nos ganhamos de verdade. nossas almas se reencontraram tranquilas, e agora, sem drama, continuamos nos amando. como tu mesmo diz, juntos somos imbatíveis,  e  pode admitir, tu sem mim  é metade, é triste feito uma música horrenda tocando num rádio velho num buteco sujo cheio de baratas e de bêbados ordinários. pode sorrir do meu exagero, tu sabe que esse sempre foi meu adjetivo mais forte, e é exatamente por isso que tu me ama. é meu bem, não esqueça, foi só o nosso ângulo  que mudou, as quinas continuam as mesmas. continuamos os mesmos palhaços se exibindo naquele velho picadeiro. a diferença, é que agora sabemos o nosso lugar nas nossas vidas, e láááá no fundo, nós sempre soubemos. nós sempre fomos, e seremos, bons e velhos amigos. eu admito que sem ti sou um velho e empoirado disco de chico, esquecido numa prateleira de um velho com alzheimer, por isso eu prometo que nunca mais sumo, prometo. palavra de escoteira.

I'm happy, hope you're happy too
I've loved all I needed to love

David Bowie - Ashes do Ashes

20 comentários:

  1. iara
    me responde uma pergunta
    Luna diz:
    diz
    diiz
         @jailson_ filho     diz:
    quando tu escreve tu pensa em ti, tu escreve com você é um pesonagem?
    Luna diz:
    boa pergunta
    rs
         @jailson_ filho     diz:
    rá.
    Luna diz:
    porque?
         @jailson_ filho     diz:
    não sei
    eu acho que talvez, tu escreva com o inconciente.
    tu escreve o que tu pensa, mais não pensa quando escreve, e talvez tu sinta ou queira sentir o que tu escreve,
    talvez é o que lhe falta
    ou o que lhe sobra.
       @jailson_ filho     diz:
    talvez o que pensas não seja o melhor pra você
    mais sim o melhor a se faze
    fazer
    quando não se tem muito o que pensar.
    luna, acho que tu precisa de um amor que te deixe sem pernas,
    e que tu sofra e chore de alegria, por sentir um só cheiro
    aonde você for.

    ResponderExcluir
  2. quando se vale a pena e o amor é maior, o resultado não pode ser outro: a volta, a continuidade da pequena pausa!

    ;)

    ResponderExcluir
  3. eu passei por isso já.
    aceitar a distancia é difícil, mas a reaproximação é a melhor coisa que pode existir!
    bjo

    obs: Ashes to ashes é foda!!

    ResponderExcluir
  4. Uma vez a Pipa me disse mais ou menos assim: Quando a separação não da certo, o jeito é reconciliar.

    Abraço meu.

    ResponderExcluir
  5. deixa eu te falar que eu li inteiro?
    e deixa eu falar da minha hipocrisia iveterada?

    quando começo a ler um texto assim, como o seu, em blogs e mais blogs, leio o início, pulo pro final, e tenho a convicção arrogante de que sei exatamente o que se disse no meio.

    é tudo tão a mesma coisa, entende?

    e eu não ligo de ser a mesma coisa, de modo algum. Eu até gosto do clichê, eu gosto muito de ser clichê. Por que ser diferente quando as reações químicas nos nossos cérebos são as mesmas?

    mas não é por sermos clichês, como tantos outros, que temos que dizer as coisas como sempre são ditas, não é?
    e seu texto é leve, e seu vocabulário difere em muito do meu. Nunca me imaginei usando a palavra "fajuto", por exemplo. Ou terminar um texto com "palavra de escoteiro".
    O divertido dessa leveza é a sua capacidade de se apoderar das palavras mais banais (seria justo dizer que qualquer palavra é banal? não acho que o seja, mas meu vocabulário é um tanto limitado), mais corriqueiras (melhor), e as junta com uma facilidade...

    muito bom.

    a história? não sei se é real, e tanto faz, não é? o artístico se passou, compreendi o sentimento, a gente sempre no palco vivendo.

    gostei disso, gostei muito disso.
    beijo. :*

    ResponderExcluir
  6. Mi mimimi mi mimimi mi mimi mimimimi mimimimimi mimi mi mimimi mimimi mi mimimimi (traduza, porque só as meganz sabem o que isso significa).

    ResponderExcluir
  7. Oi, Lu! Voltei! =)

    Essa parceria com a Martha Medeiros, o resultado entrecortado ficou ótimo!

    Como vão as coisas? Espero que esteja tudo azulzinho pra ti, lindona!

    Beijo, beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  8. Caracóles!

    Me impressiono com o jeito que escreves, parece um sopro fulminante de palavras e significados! Hehe...

    Quero aprender a ser assim ;)

    Beijo.

    ResponderExcluir
  9. ah, o nome do blog é por causa de uma tattoo que tenho no peito.
    vou postar a foto só pra vc qq hora.
    bjo

    ResponderExcluir
  10. Pela cãibra no coração, libero a sua versão!
    rs
    Seus textos são de babar...

    ResponderExcluir
  11. "que tínhamos era um amor desajeitado de gosto de agridoce e amargo, e às vezes até cruel. amávamos outros e desejávamos outros," o fim sempre chega , até a libedade às vezes cansa e pede um pouco de prissão

    ResponderExcluir
  12. Alguns sumiços são necessários de vez em quando... arriscar, mesmo sabendo que as coisas só vão mudar pra melhor.

    Caramba, Luna, esse teu amor-amizade ficou lindo.

    Beijão!

    ResponderExcluir
  13. Gracinha vc! Adorei te visitar aqui. Amei o post, super sensato e insensato ao mesmo tempo...
    Tô seguindo, Luna!

    ResponderExcluir
  14. Acho que eu não sei ir pra voltar depois...
    se bem... que tb não defino linhas duras pro meu destino, mas o que me parece agora é que se eu vou... vou de vez, quem sabe um dia muito longe eu não possa mudar de idéia =D

    Bjao Luna!

    ResponderExcluir
  15. Nem sempre é bom sair do ponto que esta, ariscar vale a pena pelas coisas que se pode esperimentar, se der deu se nao der nao deu, oras.


    até...
    ps: se cuida

    ResponderExcluir
  16. tenho a impressão de já ter visto esse filme.rs entendo bem de tudo isso, e no meu caso ainda estou na transição da perda ou da eternidade.

    ResponderExcluir
  17. o bom da vida é se entregar e deixar ser, pq fugir simplesmente nao adianta, só faz doer!

    ResponderExcluir
  18. "doeu na alma ter a certeza de que éramos melhores como amigos." frase-provérbio da minha vida rs

    ResponderExcluir
  19. Dona Luna,jáque até afoto do post foi assuntos nos comentários hahaha

    Aviso que eu roubei uam foto do seu blog pra colocar no meu twitter... se vc achar ruim só falar que eu troco! ;)

    Bjo

    ResponderExcluir
  20. hum...
    eu queria ter palavra de escoteira.
    bjs

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons