11.07.2009

encontros e desencontros III



-
ele

passaram-se apenas alguns dias desde que ele havia deixado o bilhete no café. ele já não era mais o mesmo moço de sorriso mudo e olhar triste e perdido.  naquele mesmo dia ele desatou o nó, se libertou do drama, e seguiu em frente. ele pensou consigo, que mesmo que nunca mais a visse, não andaria mais por aí com cara de maior abandonando infeliz. o seu desapontamento deixou de cair como lágrimas, e já começou a achar que a melancolia não assentava mais em seu rosto. então, se estampou de coragem e deu passos largos adiante. o sorriso surgiu de novo emoldurando novas esperanças. ele já sabia olhar além dos muros. mudou a estação, e ele mudou. já era hora.

-
ela

ela passou dias procurando a chave que perdeu sem saber onde. procurou na gaveta da escrivaninha, debaixo do sofá, na gaveta de calcinhas, e nada. ela era muito distraída, às vezes a levava na bolsa pra onde ia, sem motivo algum -- de súbito ela lembrou-se do café, talvez a chave pudesse estar lá, e então pensou na possibilidade de encontrar novamente seu moço dylan, que há muito não o via, mas que nunca havia deixado de pensar nele um segundo sequer. ela ainda tinha medo da mesmice dos relacionamentos, então o guardava como sua melhor saudade. ela não sofria, sua vida seguia, só que lhe faltava um pedaço. era ele. mas ela era uma tola sonhadora, e acreditava nos romances de cinema, desses ela não tinha medo. e porque não haveria de ser assim com ela? era como imaginava seu reencontro  com ele - ao acaso - levando consigo o clichê 'o que tiver de ser será'. seus olhos de menina refletiam sonhos, e ela não sabia ser diferente. inúmeras vezes elas desejou ir vê-lo, mas sempre deixava por conta do destino, pois só assim ela teria seu amor de filme. algumas vezes ela andou pelas mesmas ruas, imaginando que o universo pudesse conspirar ao seu favor, e de repente resolvesse fazer acontecer um reencontro insólito. de um jeito esperto, ela tentava dar um empurrãozinho no destino, porque ela sabia que ele não faria o trabalho sozinho. infelizmente nunca teve sorte.  era a chave do seu baú de fotografias e desenhos, onde ela guardava seus melhores momentos com suas melhores pessoas. suas esperanças e seus desejos frívolos. e também seus medos e seus sorrisos gratos. tudo ela guardava lá, e quando ela queria colorir seu dia, ela o abria e olhava retrato por retrato revivendo todos os zoom's de felicidade que ela teve em sua vida


porém, nesse dia, ela sentiu uma sensação diferente, e seguindo seus sentidos, ela voltou ao café. 


mal pôs os pés no lugar, a garçonete de vida vazia a viu de longe, e esboçou um sorriso, como se pensasse 'estou fazendo parte de uma história, seja lá qual for', então logo se aproximou dizendo que ela havia esquecido uma chave, e que também tinha outra coisa pra entregar-lhe. ela mal podia esperar. quando a moça entregou o tal bilhete, ela sentou-se, pediu-lhe um café, e sem maiores pretenções foi desdobrando o papel, e nas primeiras palavras ela arregalou os olhos, seu coração palpitou freneticamente, ela não sentiu as pernas, suas mãos tremeram, a data era de dia uns cinco dias atrás, o bilhete  ainda tinha cheiro de novo, e ela não conseguia passar da terceira linha de tanto nervoso. 

 'a verdade é que não sei mais de mim sem ti. é que tudo de ti ficou em mim.'

como assim? por mais esperançosa que fosse, ela não imaginava que dylan pudesse amá-la assim, dessa forma, nessa magnitude. ela às vezes lá com seus botões, imaginava que ele talvez pensasse nela, mas amar? amar era muito, era demais! até pra ela, que acredita que o amor cabe num beijo. ela leu e releu, e a cada palavra  lida suas dúvidas caíam no chão junto com a poeira. ela esboçou tímidos sorrisos, franzindo levemente o canto dos seus olhos, enquanto as lágrimas escorriam nas suas maçãs ruborizadas. ela leu uma, duas, três, quatro vezes, e tomou dois cafés expressos, pensando no que faria depois de ler tão intensa e sincera declaração de amor. pensou em correr pra encontrá-lo como uma louca desmiolada, pensou em esperar até que ele aparecesse, pensou em quase tudo. ou tudo mesmo. um sorriso nasceu na sua boca e cresceu no seu olhar. 'é esse meu amor de cinema' ela não parava de pensar. assustadamente, sentiu o mistério da vida topar com ela de novo. ela aceitou seu destino. sabia que dessa vez não era blefe. e rumo a sei lá o quê, foi ao encontro do moço. medo das armadilhas de um amor cotidiano? não existia mais. 



havia chegado a hora de explodir em estrelas, pra recomeçar brilhando.


[continua...]

-

46 comentários:

  1. uêpa, até que fim ela foi atrás dele *-*

    curiosa pra saber como será o encontro '-'

    beeijas luna ;*

    ResponderExcluir
  2. Isso esta me deixando impaciente e com um nó na garganta.

    ResponderExcluir
  3. 'a verdade é que não sei mais de mim sem ti. é que tudo de ti ficou em mim.'
    Lilndo issoOO..:)
    Bjus

    ResponderExcluir
  4. Um nó na garganta!

    Tô anciosa esperando esse encontro.

    ResponderExcluir
  5. até a parte III, pelo menos uns três pacotes de cigarros foram consumidos. ansiedade é uma merda

    ResponderExcluir
  6. É, vou seguir o blog, estou aguardando o desfecho dessa história. Tá ficando muito legal.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. Que lindo o seu blog...

    o que você escreveu é baseado em fatos reais? ou vc escreve como se fosse um livro?..Adorei..

    Quanto a música...que está na sua fase eu coloco quando vou tomar banho e canto bem alto...hehe.. é linda linda linda...
    e uma parte dela que me deixa sem saber o que faser é: ...♫. será que eu já posso enlouquecer ou devo apenas sorriiiii....

    Obrigado pela visita em meu blog...estou te seguindo viu..

    Bjus.

    ResponderExcluir
  8. Deixo aqui os meus suspiros incontidos..

    Que dooce! *-*

    ResponderExcluir
  9. continua continua *-* ja viciei aqui :x muito lindo :DDDDD

    ResponderExcluir
  10. *________* continuaaa!! kkkk

    Grande Abraço! Moça que Dança!!

    ResponderExcluir
  11. É ótimo esse mundo que você descreve. Quero morar nele. Nesse que estou, a maçã leria a carta e pensaria: afff que drama.

    ResponderExcluir
  12. aah, Luna.

    eu já disse que adoro a estética do teu blog?
    tô com inveja. eu também quero. ;/

    ResponderExcluir
  13. Acho lindo,mas tenho medo de amor de cinema.

    Tambéém gostei daqui ;D.

    beeeijos ;**

    ResponderExcluir
  14. Que linda a declaração dele *-*
    Um amor de cinema assim quem não quer neh...

    Beeijos!

    ResponderExcluir
  15. Além dos encontros e desencontros, sou mais adepta aos reencontros, porque são neles que encontramos todas as respostas.

    Continue.. (:

    Beijos beijos.

    ResponderExcluir
  16. Ai Luna, to muito curiosa para saber o final deles.
    Beeeeijos

    ResponderExcluir
  17. é, ou vai ser um livro.
    ou é só você?

    ResponderExcluir
  18. Finalmente ela vai atrás dele...
    Conta isso logo Luna, estou ansiosa DEMAIS.


    Beijo-beijo

    ResponderExcluir
  19. Awnt! Ansiosa, ansiosa, ansiosa! Morri aquê *0*'

    ResponderExcluir
  20. Ain que ódio que me dá!

    Ansiedade é uma merda... Parte III e eu já tendo um troço aqui.

    Ótimo texto, Lu!

    Beijão!
    Ps. Continua loooooogo!

    ResponderExcluir
  21. A verdade é que depois de tantos encontros e desencontros, ainda existem alguns que encontram a paz.
    E não é como tirar na loteria.
    Um beijo, Luna!!

    ResponderExcluir
  22. ansiedade master.
    vai logo vai logo!

    lindo demais!

    =)

    ResponderExcluir
  23. - Aiin
    Já a alguns diias esperando o desfecho dessa historia..
    A srta. Sabe mesmo como deixar alguém ansionso..


    Beijo'

    ResponderExcluir
  24. Agora ela vai, né?

    Vai, sim. Ela vai.

    ^^

    Muito bom, Luna. Gosto daqui.

    Beijo.

    ℓυηα

    ResponderExcluir
  25. acho uma delícia essa estória...

    beijocas!

    ResponderExcluir
  26. M-A-G-N-Í-F-I-C-O
    esse conto.
    estou torcendo pra ela... não, não vou falar...

    M-A-L-D-A-D-E
    fazer a gente esperar, podia ser um post só.
    mesmo q tivesse 20 páginas, ninguém parava de ler.

    Vc é 10

    ResponderExcluir
  27. menina como você escreve bem.

    é tenho mesmo problema dela com chaves.
    vivo perdendo as minhas.

    e essas fotografias?

    quero continuação!

    ResponderExcluir
  28. Que linto este texto. Este blog!
    Tudo perfeito!

    Voltarei!

    Bjos

    ResponderExcluir
  29. sou adepta a substâncias viciosas. espero o quarto.

    ResponderExcluir
  30. Querida, PRECISO ENTRAR EM CONTATO URGENTE COM VOCÊ, tem como me adcionar no orkut? Proposta indecente, ok?

    ResponderExcluir
  31. Adcionei! Espero que aceite logo, estou mega ansiosa mesmo prá falar com você sobre uma ideia que eu tive

    ResponderExcluir
  32. Você deveria escrever um livro Luna.
    Parabéns.
    Obrigado novamente pelo selo que me deu. Pretendo postá-lo. E que venham as épocas dos selos que nunca acabam rsrs
    Beijos

    ResponderExcluir
  33. me sinto parte dessa historia. Real? Irreal? Nao importa, sinto ela em mim.

    ResponderExcluir
  34. Nossa, que coisa linda... encontrei um 'amor de cinema', mas a história não pôde ter final feliz.

    Texto maravilhoso, impossível parar de ler.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  35. Roí a única ponta de unha que me restava.....

    Bj

    ResponderExcluir
  36. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  37. É a forma como você escreve, entende?
    É essa bendita forma, linda, sensível, terna, apaixonada, avassaladora, rica, memorável, íntima...



    Muito bom, espero a continuação..

    ResponderExcluir
  38. li as capítulos anteriores e vou ficar acompanhando! é esquisito, eu concordo com o "dylan" mas não deixo de entender o medo da "maçã" da mesmice de seus relacionamentos.
    anyway, que venham mais encontros e desencontros!

    beijos.

    ResponderExcluir
  39. "a verdade é que não sei mais de mim sem ti. é que tudo de ti ficou em mim.'"


    que coisa linda!
    Venho pra bailar mais vezes!

    ResponderExcluir
  40. Nunca sabemos como as pessoas nos amam... na verdade acho que nem sabemos como nós amamos...rs
    Mas isso num se tem que saber ou entender... apenas sentir, viver...rs

    um beijo, né... se cuida!

    ResponderExcluir
  41. Oi,linda

    Muito bom de se ler e acompanhar!Aguardo!

    beijo

    ResponderExcluir
  42. Essa é a mais deliosa loucura...Escrever.

    Continue.

    Bjos!

    ResponderExcluir
  43. Oi vim aqui por indicação do Jorge e da Natacia do Fluoxetina, e de fato não me arrependi.
    Belas palavras!
    Amanhã é dia do post da Natacia por lá e hj foi o meu dia, te espero mais vezes por lá!
    Beijos!

    ResponderExcluir

- me concede uma dança?

Baila Comigo está protegido por uma Licença Creative Commons. Credite.

Licença Creative Commons